Sem suporte ao JavaScript Associe-se!
Artigos 04/03/2021

Conheça cinco dicas para tornar a sua indústria competitiva e porque você precisa ficar de olho na concorrência

Conquistar novos espaços no mercado atual é possível a partir de um planejamento adequado de processos internos, o que permite uma melhor visão do negócio e a eliminação de desperdícios. Entenda como uma empresa enxuta pode ser ainda mais competitiva

Ganhar mais espaço no mercado atual e atingir o público pretendido é uma disputa cada vez mais acirrada nas organizações, independente do tamanho. As relações de compra e venda deixaram de ser apenas regionais para tornarem-se globais, aumentando enormemente o nível de concorrência. Novos negócios surgem a todo instante e quem não se aprimorar corre o risco de ficar para trás. Diante dessas características, como fazer para tornar a minha empresa competitiva?

Não é preciso cometer um grande erro para deixar de ser competitivo: basta não agir em prol do crescimento da empresa. Por isso, um dos caminhos é focar nas atividades que geram valor para o cliente, entendendo o que ele busca no seu produto e a partir disso eliminando internamente os processos que não são importantes para ele.

Isso se faz, principalmente, combatendo desperdícios, sejam eles de recursos financeiros, horas de trabalho dos colaboradores, entre outros dilemas. Ao identificar e eliminar gastos desnecessários, além de diminuir os custos, a sua empresa fica mais enxuta, eficaz e competitiva, entregando assim mais valor ao cliente.

Da mesma forma, ficar de olho na concorrência também pode ser uma estratégia de sucesso para a competitividade. Estudar o concorrente, além de permitir que você conheça mais sobre o mercado, permite também acompanhar as tendências do segmento e a encontrar novos espaços que o ajudem a se destacar.

Saiba mais sobre esses dois assuntos neste artigo, feito para ajudar você a aumentar a competitividade da sua empresa.

De olho no mercado

Quem está na liderança sabe que é importante estar atento a tudo o que acontece ao redor. Na perspectiva de mercado, isso inclui os concorrentes diretos e indiretos do segmento. Pelo benchmarking, por exemplo, é possível conhecer as melhores práticas de gestão e tecnologia, o que pode ajudar a identificar novos nichos de produtos e serviços. Mas sempre focando nos aspectos onde o cliente perceba o valor.

Uma análise acertada da concorrência, por exemplo, proporciona a comparação necessária para você identificar se suas práticas estão obsoletas ou não em relação aos demais. Faça isso elencando seus objetivos e examinando como os concorrentes operam, como seus perfis em redes sociais são apresentados, como é o atendimento ao cliente, de que forma calculam seu preço, quais formas de pagamento são aceitas, entre outros aspectos.

O que fazer para ser mais competitivo

Comentamos no início deste artigo que reduzir ou eliminar desperdícios é um caminho para alcançar maior competitividade na indústria. Operar de maneira enxuta oportuniza otimização de processos, maior eficiência e, consequentemente, maior qualidade e valor para o cliente.

Para que você compreenda mais sobre isso na prática, separamos cinco dicas de como fazer isso. As orientações são baseadas na filosofia Lean Manufacturing, criada pela montadora Toyota e baseada no combate ao desperdício na indústria. Essa

metodologia surgiu no Japão, na década de 1950, após a Segunda Guerra Mundial e foi o fator que contribuiu para a retomada do crescimento da economia em um cenário pós-guerra. Confira as dicas.

1. Elimine o retrabalho

O retrabalho é um dos problemas que mais geram desperdício e custos para uma empresa. Afinal, serão necessários mais tempo dos profissionais, mais tempo de utilização de máquinas e programação da produção, materiais, insumos, além da necessidade de gerir o que fazer com os produtos que não servem para o consumidor final.

Para resolver esse problema, é fundamental conhecer o que realmente o cliente quer, considera importante e a partir disso buscar eliminar o que não é importante. A partir dessa análise, você pode definir processos padronizados e ordenados para a operação de cada etapa do processo produtivo de forma a evitar retrabalhos e entregar exatamente o que seu cliente valoriza. Isso deve ser feito de forma periódica e contínua (melhoria contínua).

2. Produza somente o necessário

Uma superprodução, sem escala e sem um fim definido, pode ser considerada uma das piores formas de desperdício, com graves consequência para a sua competitividade. Uma empresa, ao produzir mais do que consegue vender, gasta tempo e recursos (insumos, equipamentos, hora trabalhada pelos seus profissionais), gerando estoques excessivos que implicam em mais mobilização de espaço e capital. Por isso, uma dica importante é planejar a produção conforme a demanda real, focada na necessidade do cliente e não para o estoque.

3. Tenha um estoque no menor nível possível

Por falar nisso, estoque demasiado exige maior espaço de armazenagem e imobiliza o capital da organização. O ideal é que sua empresa tenha uma quantidade mínima de insumos ociosos e produtos prontos em estoque. Por isso, faça um planejamento adequado das compras e da produção, para que o processo produtivo ocorra somente conforme a demanda.

4. Fique atento ao tempo de espera

Desperdiçar o tempo é um grave problema, uma vez que funcionários e fornecedores parados, aguardando longos períodos para realizarem uma tarefa, significam, basicamente, perda de dinheiro.

O fluxo contínuo de atividades é essencial, mas só pode ser alcançado a partir de um planejamento adequado dos processos, o que efetivamente reduz a improdutividade.

5. Faça o transporte correto dos insumos

Fazer movimentações de equipamentos, insumos, materiais ou qualquer outro recurso de um local para o outro sem necessidade ou de maneira ineficiente cria um desperdício de transporte. Além de poder causar danos e perdas, impactando em menos tempo destinado para aquilo que gera valor ao cliente, consome recursos financeiros que poderiam ser aplicados em outras áreas mais estratégicas. Para evitá-lo, é preciso ter os componentes próximos, analisando o percurso e sempre buscando reduzir ao máximo as distâncias dentro da linha de produção.

 

Ser competitivo na indústria muitas vezes não depende de grandes projetos ou grande esforço financeiro. Estar atento ao que ocorre dentro da empresa, buscar otimizar processos e tornar a organização mais enxuta e eficiente, buscando atender exatamente ao que o cliente deseja, pode ser o suficiente para tornar sua empresa mais competitiva.

Não há mais espaço para perder dinheiro com ineficiência. Por isso, identificar e eliminar todos os tipos de desperdícios e atentar às boas práticas da concorrência e das demais empresas no mercado te ajuda ter uma visão mais completa, aumentando suas chances de melhorar seu ambiente interno, reduzir os custos e atender melhor seu cliente.

Para que você saiba ainda mais sobre o assunto, baixe agora e-book “Industria 4.0: qual o impacto no meu negócio? Tudo o que você precisa saber” produzido pelo SIMECS. É mais um conteúdo relevante e com novos conhecimentos para você saber mais. Clique aqui

Gostou do nosso artigo? Temos outros materiais relevantes para você saber mais sobre esse assunto. Acesse em nosso blog.

Faça parte do Projeto do Lean à Indústria 4.0 - clique aqui

SUBIR